• Redação

Você sabe quais as diferenças entre couro e sintético?

A pauta de hoje é um pouco polêmica, mas extremamente necessária. Muitas pessoas desconhecem a diferença entre couro e sintético, mas existe uma abismo entre esses dois materiais e aqui a gente vai te explicar um pouco mais!

Primeiramente, é importante ressaltar que "couro ecológico" e "couro sintético" não existem, inclusive são denominações ilegais. Por quê? Bom, segundo a ANVISA, o couro só pode ser assim chamado quando o material for proveniente da pele de algum animal (bovino, ovino, suíno, etc). Existem opções sintéticas, que são produzidas a partir do petróleo, e tem qualidade e durabilidade muito inferiores, mas aparência similar ao couro "legítimo", o que acaba confundindo os consumidores, por isso a palavra couro não pode ser utilizada para esses materiais.

Ah, se você ficou curioso, também existem algumas opções de materiais vegetais, produzidos a partir do látex, além de algumas pesquisas que estão desenvolvendo "couros" a partir de kombucha, fibra de abacaxi, etc. Claro que ainda falta muito desenvolvimento, pesquisa e tecnologia para que esses materiais se assemelhem em vantagens tanto de durabilidade quanto de preço ao couro legítimo.

Mas voltando ao assunto principal, a maior diferença entre o couro e o sintético é, obviamente, sua origem. Como dito acima, o couro provém apenas de origem animal, enquanto o sintético é fabricado de PVC, um derivado do petróleo. As vantagens do couro em relação ao sintético são várias, e aqui a gente vai listar todas elas pra você!

1- DURABILIDADE

O couro natural pode durar por vários anos, se bem cuidado (leia esse post aqui pra saber como cuidar bem da sua bolsa). Esse é um dos principais pontos pelo qual nós trabalhamos com couro ao invés de sintético. Queremos criar bolsas que passem por gerações! Já com o sintético, por ser um material frágil (consequentemente mais barato), gera muito mais descarte.

O material sintético mais popular é o PVC, que tem em sua composição 5% de poliuretano (proveniente do petróleo). Como nós já sabemos, o descarte de subprodutos do petróleo demoram dezenas de anos para se decompor na natureza.

2- QUALIDADE

O Couro tem características únicas que são essenciais para garantir sua qualidade: a impermeabilidade, a flexibilidade, a transpiração e a resistência mecânica (difícil de rasgar, furar, etc). A pele animal é quimicamente constituída por aproximadamente 61% de água, 34% de proteínas fibrosas, 1% de proteínas globulares, 2% de lipídios, 1% de substâncias minerais e 1% de outras substâncias. Portanto, depois da água, a pele se constitui essencialmente de proteínas como o colagênio, a reticulina, a elastina e a queratina. Tudo isso faz com que o couro seja maleável e resistente ao mesmo tempo, além de ser ótimo para ser utilizado junto à pele, pois é o único material natural conhecido capaz de absorver 75% de umidade mantendo-se com aspecto seco, permitindo a respiração e a transpiração, coisas que até hoje não puderam ser desenvolvidas em materiais sintéticos.

3- APARÊNCIA

Nada se compara ao couro. O sintético até pode chegar perto e se assemelhar visualmente, mas ao toque nota-se que não tem a mesma maciez que o couro tem. É um material que confere elegância e sofisticação à qualquer produto (não é à toa que os carros mais luxuosos tem assentos de couro). Existem vários tipo específicos com valores diferentes no mercado: há o vacum, assim denominado quando o couro é bovino. O suíno, quando vem dos porcos. Caprino ou pelica, das cabras. Ovino, de ovelhas. Mestiço, de diversos tipos de carneiro, sendo que eles são os mais leves e nobres, com elevado preço e procura no mercado. Possuem excelente resistência, maciez e um toque sedoso. As peças feitas desse couro podem ser do tipo camurça, chamois e napa.

Tudo isso confere uma qualidade superior aos produtos de couro, prolongam sua vida útil e evitam descartes desnecessários. É claro que existe a questão moral em relação à vida dos animais, e não nos aprofundaremos nisso pois acreditamos que são escolhas individuais, mas é importante ressaltar que a grande maioria do couro utilizado no Brasil é proveniente da agropecuária, ou seja, o abatimento desses animais decorre primeiro em função de alimentação, o couro é objetivo secundário.

Além disso, existem leis e regulamentações para que o descarte das sobras desse material seja feita de maneira correta e ética. Aqui na Campezzo nós temos alguns projetos solidários que reutilizam os retalhos e até mesmo os acessórios muitas vezes utilizamos dos pedaços menores das peles de couro que sobram após o corte das bolsas. Aproveitamos ao máximo, e ainda os retalhos menores são destinados para fabricas de calçados que conseguem fazer o aproveitamento de peças menores!

Um produto de couro vale seu investimento, principalmente pela qualidade e por sua durabilidade, é uma compra consciente. Por aqui você pode se apaixonar pelas bolsas e usá-las por anos e anos! Por isso também temos a nossa garantia do produto, por ser produzido com materiais nobres! Use e abuse das suas bolsas Campezzo!